quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Here We Go Again, FDL!


Recomeçou a época. Sim, já havia sinais a acumular-se desde Janeiro, mas agora está a todo o vapor. Abriu-se a mais divertida época festiva na FDL a seguir às orais – as eleições para a AAFDL. 

Os primeiros sinais são ainda na época de exames/orais, quando vemos muitas pessoas com ar atarefado a andar de um lado para o outro, ofegantes e preocupadas. Elas circulam entre bar velho e bar novo, mas concentram-se mais no primeiro. Como até já tinha referido num post anterior, o seu local perdilecto de encontros secretos é o jardim do bar velho, ou por baixo das escadas do bar novo, ou na porta traseira, ou no pátio interior, mas de forma a verem-se. Assim, com certeza movidos por um sentido enorme de transparência, conseguimos ver quando começa.

Este ano, mais uma vez, temos 3 listas! R, E e T. Não farei conclusões percepitadas sobre nenhumas delas, apesar de eu achar muito giro, mas isso é um problema de qualquer lista na FDL, do romanticismo com que eles tratam isto: “Manifesto”, “Academia”, etc. etc. Não é à toa que muitos dos “grandes” políticos do nosso país vêm na nossa mui nobre casa. A R, como qualquer grupo de pessoas que está no poder, quer lá manter-se, mas isso é um facto natural; a E parece ressuscitar o espírito da Lista X, mas com algumas diferenças e com outra liderança; e a T, por seu lado, não é nada mais do que uma tentativa de reanimação da C, mas que, por isso mesmo, é uma forte candidata à eleição, como são as outras.

E por isso, preparem-se meus caríssimos proto-juristas, pois começará a lavagem de roupa suja, porque a merda que qualquer pessoa faz parece significativamente magnificada durante uma eleição; intrigas, facadas nas costas; prevejo que algumas amizades irão acabar também, porque, perante o poder, o quê que interessa um amigo que é um estorvo, right?

E, meus caríssimos colegas do 1º ano, tenham cuidado – como diz um cartaz feito em cima do joelho que afixam em diversos locais da FDL, este é o 1º ano com mais alunos de sempre, por isso, tenham cuidado – a caça ao voto, o cacique anda no ar, cheira-se e vê-se. O Presidente de lista tal a numa mesa redonda do bar velho a conversar com um grupo de caloiros incautos; ex-, presentes e futuros dirigentes associativos a fumarem na rampinha do bar velho junto à biblioteca, pessoas de várias listas a espalhar “Fichas de Lista” por todo o lado, Festas de Lista, possivelmente Fim-de-Semanas de Lista (o da R já foi, chamava-se “Audiências”) e, nos dias da campanha, canetas, folhetos, canetas, canetas e campanhas que, em tempo de crise, gastam milhares de euros – repito, milhares de euros, para ganharem uma associação académica. 
Aposto que há campanhas para eleições em algumas autarquias que saem mais barato.



Enfim, é um tempo de intriga, de inimizade, de novas “amizades”, de facadas, de acontecimentos inesperados, insulto barato, lavagem de roupa suja, do diz que disse – é divertido, é o thriller das eleições AAFDL!

1 comentário:

  1. Tens razão no que dizes em relação às campanhas, são de facto inúteis, o dinheiro dessa logística de fachada poderia muito bem servir os estudantes necessitados, ajudar mais os núcleos em vez de ser utilizado para comprar "armas"!
    Agora que estou numa lista espero um dia poder inverter estas tendências, mesmo que sabendo que provavelmente será uma luta inglória!

    Luís Peixoto

    ResponderEliminar